A vida no Campo A vida no Campo

Quando as plantas foram criadas , o solo tinha cada um dos elementos dessa tabela. Consegue ver os elementos em PRETO? esses que estao escritos nos pacotes de fertilizantes que se usa na agricultura de hoje.HUMMMMMMM

COMO FAZER UMA ANALISE DE SOLO CONFIAVEL

Para analise de solo no Brasil entrar em contato por e-mail, esviaremos o catalogo com informacoes como coletar a amostra de solo para analise.

 

 

 

 

 

 

CURSO PLANTANDO COM O ANJO

 

 

 

CAPÍTULO 1: O PREPARO DO SOLO

 

 

AMOSTRA DE SOLO PARA ANÁLISE

 

 

Utensílios necessários:

 

  • Balde Limpo;
  • Pá limpa;
  • Solo (de diferentes locais)
  • Sacola de amostragem ou uma sacola plástica Zip Lock (300 gr)

 

 

Propósito: A maioria dos solos de todo o mundo estão grandemente empobrecidos, apresentando grandes desequilíbrios. Este teste ajuda a definir qual a realidade do solo onde se pretende plantar e o que fazer para corrigi-lo antes do plantio (é muito importante ressaltar que não é qualquer teste de solo que vai identificar o que as plantas conseguirão retirar do solo – é necessário um teste com procedimentos específicos, um teste que é realizado por poucos laboratórios em todo o mundo).

 

Passo 1: Remova cuidadosamente toda e qualquer matéria orgânica (com cerca de 3 cm de solo), incluindo raízes da superfície do solo a ser analisado;

Passo 2: Faça um buraco de aproximadamente 15 cm de profundidade e coloque uma pá cheia desse solo em seu balde;

Passo 3: Repita essa mesma operação em mais três pontos da propriedade a ser analisada;

Passo 4: Misture tudo muito bem e coloque sobre uma superfície lisa e limpa, para extrair toda pedrinha, folha, raiz, plástico,- qualquer coisa que não seja terra limpa e pura;

Passo 5: Preencha o saco de amostragem (ou um saquinho plástico limpo, do tipo Zip Lock) com seus dados

 

 

 

 

 

 

EQUILIBRANDO O SOLO

 

Passo 1: Ao receber seu pacote com fertilizantes naturais, divida-o em duas partes.

 

Passo 2: Espalhe homogeneamente a primeira parte e, em seguida, a segunda parte (é muito importante espalhar igualmente em toda a área.

 

Passo 3: Misture os fertilizantes com a terra.

 

 

 

FORMAÇÃO DOS CANTEIROS

 

Passo 1: Com estacas e fios, planeje onde ficarão os canteiros (eles devem ter 50 cm de largura por dez metros de comprimento e ruas de um metro entre os canteiros);

Passo 2: Escavação dupla: O propósito é afofar a terra e colocar dentro dela o máximo possível de oxigênio e de matérias orgânicas (e fazer tudo isso mantendo a terra de superfície na superfície e a terra de fundo no fundo de cada canteiro – veja como):

 

Dentro do espaço delimitado para seu canteiro, no começo do mesmo, retire cerca de um metro da terra de superfície (1,0 m X 0,50 m X  0,20 m) e coloque essa terra dentro de um carrinho de mão.

 

Agora, com uma pá de transplante de mudas ou uma pá normal (ou um enxadão ou enxadeco ou um garfo de agricultura), afofe, o mais fundo possível,  toda a terra debaixo do buraco de onde você retirou a terra para colocar no carrinho de mão (apenas afofe e revire, mantendo toda a terra ali mesmo).

 

Agora que você afofou a parte inferior do primeiro metro do seu primeiro canteiro, repita tudo o que você fez no primeiro buraco, mas com uma diferença: Desta vez, ao invés de colocar a terra de superfície dentro do carrinho de mão (que já está cheio), coloque essa terra sobre a terra de fundo que você acabou de afofar no primeiro metro do seu canteiro.

 

Repita esse processo para cada metro do canteiro.

 

Quando chegar ao final do canteiro, haverá um buraco por falta de solo de superfície – coloque ali a terra do carrinho de mão (repita tudo isso em cada canteiro).

 

Passo 3: Recoloque as estacas e fios em posição, cuidando para que um fio diste do outro fio, 50 cm (e entre os canteiros, um metro).

 

Passo 4: Com um ancinho (e se possível, com uma régua de nível) nivele todo o canteiro (isso é muito importante para uma irrigação uniforme e para evitar a perda de fertilizantes ou a concentração excessiva dos mesmos em algum ponto do canteiro).

 

Passo 5: Com o mesmo ancinho, agora forme cristas de terra (abaixo dos fios de marcação) com cerca de 10 cm de altura (isso vai ajudar na irrigação e na prevenção de ervas invasoras).

 

 

 

PROFUNDIDADE DE RAÍZES

 

 

Os vegetais podem ter raízes bem mais profundas do que muitos agricultores imaginam. Para que elas cresçam mais, é importante afofar bem o solo e irrigar profundamente.

 

 

 

 

 

TAMANHO IDEAL PARA OS CANTEIROS

 

O canteiro padrão utilizado pelo Dr. Mittleider tem 10 m de comprimento e 50 cm de largura e 1 m de rua entre os canteiros. Cada canteiro pode receber duas fileiras de plantas.

 

E por quê 10 m de comprimento? Porque a maioria dos canteiros têm essa medida e, assim adotamos essa medida como padrão para determinar as quantidades de uso dos nossos fertilizantes.

 

DICA importante:

Se você não tiver espaço para canteiros com 10 m de comprimento, use uma das seguintes medidas, 7,5 m ou 5 m ou 2,5 m – para facilitar a utilização dos nossos adubos naturais.

 

 

 

O MÉTODO DE CULTIVO MITTLEIDER

 

Consideramos este o método mais simples, que garante resultados consistentes, pois alimenta mais à planta que ao solo.

 

O sistema de irrigação Mittleider possibilita uma irrigação profunda graças às cristas que são formadas ao longo dos canteiros.

 

Resultados obtidos por este método:

 

  • Produção uniforme e bonita;
  • Crescimento abundante;
  • Brix ou nutrição não são tão elevadas se a água oceânica e o fosfato de rocha não forem usados;
  • Para melhores resultados combine este método com:
    • o   Análise de solo da Ag Lab;
    • o   Equilibrando o solo de forma orgânica segundo a maneira como indicada pelo laboratório;
    • o   Adicione água oceânica diluída (1 litro para 10 litros) para

 

 

FERTLIZANTES MITTLEIDER

 

 

 

Como usar:

 

  1. 1.     Hortaliças:
    1. a.     Só começar após aparecerem as folhas verdadeiras:
      1.                                                                    i.      Se menor que 20 cm, usar 500 gr para cada 10 m de canteiro de 50 cm;
      2.                                                                  ii.      Se maior que 20 cm, usar 1 kg da fórmula, para cada 10 m de canteiro de 50 cm de largura.
      3. b.     Usar uma vez por semana, não deixando tocar as folhas, sempre no centro da leira, cobrindo com terra e molhando em seguida;
      4. c.      Pare de usar duas semanas antes de colheita.
  2. 2.     Árvores:
    1. a.     Não adicionar Potássio ao fertilizante se for para plantar árvores;
    2. b.     Para árvores pequenas, usar uma mão cheia ao mês, até que cresçam mais;
    3. c.      Para árvores com menos de 1m de altura, usar ½ kg, MENSALMENTE;
    4. d.     Para árvores com mais de 1 m de altura, usar 1 kg POR MÊS;

 

 

Antes de Plantar espalhe uniformemente os seguintes produtos em cada canteiro de 10 m de comprimento por 50 cm de largura (ou essa mesma quantidade em cada cova para plantio de mudas de árvores):

  • 1 kg do Fertilizante de Plantio;
  • 500 gr do Fertilizante Semanal.

 

 

 

CLASSIFICAÇÃO BRIX ELEVADA

 

O que é Brix? Esse é um termo inventado pelo Dr. Carey Reams para descrever e mensurar a desnidade e concentração de minerais dissolvidos nos sucos das plantas. Um Refratômetro é um aparelho ótico capaz de fazer essa leitura com exatidão matemática, embora seu paladar seja capaz de dar uma pista do alto teor ou não de Brix num determinado vegetal.

 

Como alcançar elevadas leituras de Brix? Dr. Carey deu início ao International Ag Labs para testar os solos e fertilizantes naturais preparados sob medida para equilibrar solos a ser plantados de forma orgânica. Todos os nutrientes de que as plantas necessitam, com exceção do Nitrogênio, são levados para o interior das plantas devido ao estímulo que o Fosfato desempenha sobre elas.

 

A maioria esmagadora dos métodos de cultivo tradicionais despejam na terra uma quantidade excessiva, altamente concentrada e prejudicial, de Nitrogênio, de Fósforo e de Potássio – todos químicos, o que obriga as plantas a crescerem rapidamente e a produzir bastante, mas de forma artificial e “vazia”, pois as plantas são incapazes de retirar da terra, na mesma velocidade e intensidade, os nutrientes necessários a esse crescimento acelerado e nada natural.

 

Exemplificando o problema visualmente: As plantas são “construídas” com células, como se fossem caixas de sapatos empilhados. As paredes dessas células (caixas em nosso exemplo) são feitas de celulose (papel). Os fertilizantes químicos obrigam os vegetais a construir essas paredes das células (caixas) de forma rápida demais, muito mais rapidamente do que as plantas normalmente conseguem. Assim, suas paredes ficam fracas, o que vai facilitar em muito o ataque de insetos predadores, que terão muito mais facilidade em ataca-las, deixando de lado as plantas que conseguem crescer de forma normal e orgânica, pois suas paredes são muitas vezes mais duras e resistentes aos seus ataques.

 

Assim, no supermercado ou na feira, você vai encontrar hortaliças grandes e bonitas, mas suas células serão ocas, vazias, como uma caixa de sapato sem um sapato, não haverá os nutrientes de que seu corpo necessita para sobreviver – e mais, esses vegetais irão estragar rapidamente, exatamente por causa da falta desses minerais essenciais – e o Brix desses vegetais? Será muito baixo, será o sinal mensurável de sua baixa qualidade.

 

É como uma pessoa obesa. Ela pode ser bem grande, mas nem por isso é saudável – na verdade, a obesidade esconde desnutrição. É a mesma diferença entre comer um pão branco de padaria e um pão integral caseiro; ou uma balinha cheia de açúcar e de tinta e uma fruta saudavelmente doce; ou uma colher de açúcar puro e um copo de suco de cana de açúcar; ou ainda, o sal de cozinha quando comparado ao sal cru, da forma como é encontrada nas salinas (este último terá 92 minerais essenciais aquele, apenas um, que se torna venenoso mesmo em pequenas quantidades). Só para você pensar um pouco: uma espiga de milho deveria ter 48 nutrientes essenciais à manutenção da vida, mas você só consegue obter deles, apenas de 4 a 6 desses elementos vitais, quando essas espigas são produzidas quimicamente!

 

Mas os problemas não param por aqui. Quando você usa uma hortaliça que cresceu à força, pela ação violenta de fertilizantes químicos, a terra onde esse vegetal foi produzido rapidamente, teve seu PH modificado, impedindo a planta de se alimentar corretamente. Devido a essa mudança de PH, muitos nutrientes essenciais se tornam indisponíveis às plantas. E como a planta foi alimentada apenas artificialmente, ela fica cada vez mais doente e mais atrativa aos insetos predadores e às doenças, os agricultores são forçados a enche-las de pesticidas, que vão parar em sua mesa, e nas fontes das águas, nos córregos, nos riachos, lagos, mares e oceanos – destruindo e contaminando a tudo e a todos com quem entram em contato.

 

Mas o estrago ainda não acabou! O maior problema não são os alimentos doentes, com poucos nutrientes, cheios de agrotóxicos, o maior problema é a esterilizarão dos solos! Veja bem, na natureza, as minúsculas raízes das plantas soltam no solo alguns ácidos suaves, que transformam os minerais à sua volta, para que consigam ser absorvidos por elas. No entanto, para que isso ocorra, essas minúsculas raízes precisam da ajuda de bilhões de fungos minúsculos e de bactérias que respiram ar.

 

É muito semelhante ao que acontece no intestino humano (assim como no intestino de qualquer animal) – não é suficiente que coloquemos alimentos em nossos intestinos, precisamos de bilhões de bactérias para nos tornar disponíveis a maior parte desses nutrientes!

 

O mesmo acontece com toda planta, pois cada uma delas necessita de bactérias e fungos benéficos para sobreviver. O problema é que quando se usam fertilizantes químicos e/ou agrotóxicos, essas boas bactérias são destruídas aos poucos – só que, além de serem vitais na alimentação de qualquer planta, elas também são responsáveis por produzir alguns tipos de cola, uma delas é a Glomalina, que vai manter unidas finíssimas partículas nutritivas presentes no solo, aumentando em muito a capacidade das raízes absorverem nutrientes, ainda ajudando a formar um húmus de boa qualidade, tornando o solo permeável, menos afetável por chuvaradas. Assim, mediante a destruição paulatina dessas bactérias e fungos benéficos, as terras se tornam estéreis, desérticas, herodidas, com pouco oxigênio e pouca umidade e as plantas fracas, doentes, pratos perfeitos para insetos predadores – e onde tudo isso começou? Na indústria de fertilizantes químicos, que chegou a uma loja de produtos agrícolas, foi para a lavoura e de lá para seu prato, após você ter pago a remunerado todo mundo que colaborou para promover essa situação.

 

Agora, voltando à pergunta inicial: Como alcançar elevadas leituras de Brix?

 

  • Faça um teste do seu solo que lhe dê recomendações corretas para corrigi-lo;
  • Mantenha o padrão 1:1 entre Potássio e Fosfato;
  • Alimente as plantas regularmente (de acordo com as recomendações do teste de solo), por meio de adubação foliar e compostos minerais completos.

 

 

RESULTADOS DESSE MÉTODO:

1.    Os alimentos terão um sabor muito melhor – e você vai descobrir que alguns alimentos que antes eram indesejáveis, se tornarão deliciosos;

2.    Os níveis nutricionais desses produtos se tornarão extremamente elevados;

3.    Uma longa vida de prateleira;

4.    Pressão de insetos sobre esses alimentos será muito menor;

5.    Os animais também preferem esses alimentos altamente nutritivos – e deixarão de visitar seus vizinhos para se deliciarem com seus produtos – portanto previna-se.

 

Minha experiência demonstra que o resultado final pode não ser necessariamente mais frutos ou maior peso por acre, mas maior peso por bacia (e qualidade muito superior). Você terá os melhores produtos que alguém pode produzir – e esse alimento você não encontrará em todo supermercado.

 

(A foto ao lado é de um galho de macieira em época de gelo, quando não deveriam haver folhas nesse galho, mas o mesmo está repleto de folhas verdes vivas e saudáveis.)

 

 

 

 

 

AS REGRAS DO DOUTOR CAREY REAMS

Retiradas de “Mainline Farming for the Century”

Por Dan Skow; D. V. M. e Charles Walters

 

1. O Carbono é o governador da umidade – uma parte de Carbono manterá prisioneiros 4 partes de água;

2. Quanto mais carbono houver numa semente, tanto mais cedo ela brotará;

3. O Manganês é o elemento da vida – ela traz para dentro da semente corrente elétrica;

4. Cada elemento de uma estrutura molecular tem o mesmo tamanho quando estão sob a mesma pressão e temperatura;

5. O ponto central de um determinado elemento diz se ele é um ânion ou um cátion;

6.  A natureza seguirá a linha do menor esforço;

7.  Quanto maior for a densidade de um solo sem húmus, tanto maior será a gravidade específica dele;

8.  Quanto menor a densidade dos nutrientes de um solo, tanto menos ele produzirá;

9.    Quanto maior a densidade de um solo, tanto maior sua capacidade produtiva;

10.  O processo de osmose não é limitado pelo fator tempo;

11.  Quanto menos tempo levar para produzir algo, tanto maior será a qualidade;

12.  Quanto maiores forem as concentrações de açúcares e de minerais em plantas e árvores, tanto mais elas resistirão ao congelamento;

13. Produtos com elevado Brix, não vão apodrecer, apenas se tornarão desidratadas;

14. Todos os fertilizantes naturais são catatônicos;

15.As palavras “se alimentam” da energia liberada durante a sincronização de diversos elementos do solo;

16.  Fique atento sobre tudo o que seus olhos estiverem vendo;

17. Coisas semelhantes se atraem mutuamente;

18. Existe uma causa definida para cada efeito;

19.O Fosfato é o regulador, controlador, do conteúdo de açúcares de um produto;

20. Quanto maior for o conteúdo de Fosfato num vegetal, maior será a concentração de minerais nele. Quanto maior for a concentração de minerais, maior será seu peso. Quanto maior o peso de minerais, mais saudável será o vegetal ou os animais e pessoas que se alimentarem deles;

21. Todos os elementos, exceto o Nitrogênio, entram nos vegetais na forma de fosfatos;

22. A proporção de Fosfato e de Potássio no solo (exceto para gases) onde se faz qualquer colheita é de uma parte de Potássio para duas de Fosfatos;

23. A proporção para todos os gases é quatro partes de Fosfatos para uma parte de Potássio;

24. Potássio determina o calibre de troncos, de folhas, e de frutos, assim como o número de frutos numa determinada árvore;

25. O Nitrogênio é o principal eletrólito no solo;

26. O Nitrogênio “é o sol” de cada molécula;

27. Apenas os alimentos de plantas que forem solúveis em água é que estarão disponíveis para elas fazerem uso;

28. Substâncias catiônicas sobem;

29. Substâncias Aniônicas descem.

 

 

QUADRO COMPARATIVO PARA LEITURAS DE BRIX

 

 

PLANTA

POBRE

COMUMENTE

BOM

EXCELENTE

Alfafa

4

8

16

22

Maçãs

6

10

14

18

Aspargos

2

4

6

8

Abacates

4

6

8

10

Bananas

8

10

12

14

Beterrabas

6

8

10

12

Pimentões

4

6

8

12

Mirtilos

6

8

12

14

Brócolis

6

8

10

12

Repolho

6

8

10

12

Cantaloup

8

12

14

16

Cenouras

4

6

12

18

Casaba

8

10

12

14

Couve flor

4

6

8

10

Aipo

4

6

10

12

Cerejas

6

8

14

16

Côco

8

10

12

14

Colmos

4

8

14

20

Milho jovem

6

10

18

24

Cow Peas

4

6

10

12

Endívia

4

6

8

10

English Peas

8

10

12

14

Escarolas

4

6

8

10

Field Peas

8

10

12

14

Cereais

6

10

14

18

Toranja

6

10

14

18

Uvas

8

12

16

20

Feijões Verdes

4

6

8

10

Pinha

8

10

12

14

 

 

 

 

 

 

 

 

QUADRO COMPARATIVO PARA LEITURAS DE BRIX

(continuação)

 

 

PLANTA

POBRE

COMUMENTE

BOM

EXCELENTE

Pimentas quentes

4

6

8

10

Kohlrabi

6

8

10

12

Kumquat

4

6

8

10

Limões

4

6

8

12

Alfaces

4

6

8

10

Limas

4

6

8

12

Mangas

4

6

10

14

Cebolas

4

6

8

10

Laranjas

6

10

16

20

Mamões

6

10

18

22

Salsa

4

6

8

10

Pêssegos

6

10

14

18

Amendoins

4

6

8

10

Pêras

6

10

12

14

Abacaxis

12

14

20

22

Uvas Passas

60

70

75

80

Framboesas

6

8

12

14

Rutabagas

4

6

10

12

Sorgo

6

10

22

30

Abóbora

6

8

12

14

Morangos

6

10

14

16

Milho Doce

6

10

18

24

Batatas Doces

6

8

10

14

Tomates

4

6

8

12

Nabos

4

6

8

10

Melancias

8

12

14

16

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

SOLUÇÃO MINERALIZADORA

 

 

Você sabia que um cientista americano levou três anos seguidos as mesmas melancias para exibi-las num concurso das mais bonitas frutas de sua região (e que essas três melancias estavam em bom estado mesmo após esses três anos, e que não foi usado nenhum tipo de conservante nelas e que nem ficaram numa geladeira?). Você consegue acreditar que ele ganhou esse concurso três anos seguidos, reapresentando exatamente as mesmas melancias?

 

Você sabia que o Professor Lynn Hoag (que está nos ensinando a técnica na Instituição Alcançando Corações) retirou da horta da sua igreja um Pepino e o deixou em sua garagem por exatamente um ano e que o mesmo Pepino não havia estragado após todo aquele tempo, ficando apenas desidratado?

 

O objetivo dessa solução é prover a maior parte dos minerais necessários à sobrevivência das plantas. Sua base é o sal marinho puro, cru, sem nenhum tipo de aditivo, “beneficiamento”, e sem que qualquer um dos seus elementos seja-lhe extraído.

 

Devido à falta de minerais essenciais, as plantas crescem e produzem de forma inapropriada e seus frutos estragarão muito mais rapidamente. Estudos científicos têm demonstrado que o uso de água oceânica pode aumentar a vida de prateleira de um vegetal em 150 vezes.

 

 

                     

RESULTADOS:

 

É o grande segredo da longevidade vegetal. Alimentos se tornam mais pesados, ricos em minerais essenciais, embora menores, não estragam, não apodrecem, têm vida prolongada em 150 vezes, são altamente saudáveis e medicinais.

 

 

As aplicações:

  • Devem ser de 4 vezes ao longo de toda a estação seca e sempre após grande chuvaradas, respeitando um intervalo mínimo de 1 semana entre aplicações;
  • 10 l da solução para cada pé de árvore;
  • 10 l da solução para cada canteiro de 10 metros por 50 cm de largura;
  • Pode aplicar tanto nas folhas quanto no próprio solo.

 

 

CUIDADOS:

  • Diluir (ou guardar) a solução em recipiente de plástico ou de vidro;
  • Ao aplicar com pulverização, usar pulverizadores sem componente metálico para evitar corrosão;
  • Cada planta tem necessidades específicas e intolerâncias que devem ser observadas e estudadas – se uma planta, após receber a solução, começar a secar, embora o solo esteja úmido, pode ser sinal de excesso de sal para aquela planta – por segurança e prudência, despeje bastante água nela, veja se melhora, faça anotações, espere uma semana e aplique a solução novamente, mas em menor quantidade e observe novamente o que vai acontecer.

 

 

 

COMO CRESCER DE 50 A 150 KG DE TOMATES NUM MESMO TOMATEIRO

 

PASSO 1: Faça um teste de solo confiável.

PASSO 2: Use o método de plantio ensinado a Ellen White ou compre e use o kit de plantio desse método;

PASSO 3: Mistura com solo de superfície os ingredientes listados nas instruções de plantio:

  • Adicione folhas (bagaço de cana, lixo orgânico etc.) em decomposição dois metros em torno de cada pé (mantenha esses materiais afastados do tronco dos pés);
  • O canteiro para os tomates devem ser preparados do mesmo jeito que se planta árvores com o método do anjo;
  • Como um bônus, plante um ano antes de plantar seus tomateiros, leguminosas, três metros além da área que você usará para plantar seus pés.

 

Use esse método com qualquer tipo de planta que você deseje alcançar um super crescimento e supre produção. O recorde por nós registrado usando esse método, foi obtido num único tomateiro da espécie Better Boy, que produziu 150 kg.

ONDE ESTAMOS:

Nilson Moreira

e Sandra Dasilva
2101 NE 41st St Apt D
Lighthouse Point, FL 33064


Phone: +1 954 4948192

Calendário do Seminário de Plantio: estaremos no mês de abril/2014 em Rondônia e Minas Gerais.

         

 

                         

 

 

 

      Solo demora muito tempo para se formar, por isso vamos conservá-lo da melhor maneira possível.

 

15 de abril 

Dia de conservação do solo